quarta-feira, 28 de abril de 2010

amortecedores

têm vezes que é tão bom pensar em nada. não raciocinar. não lembrar das burocracias do dia seguinte ou de uma vida inteira.

têm vezes que a gente é vulnerável a nós mesmos. não dá pra deixar o desespero te controlar, afinal de contas, o resultado disso não é bom pra você, não é bom pra mim, não é bom pra ninguém.

têm vezes que trabalhar completa a alma de tal forma que, se só aquilo existisse na vida, independente do estresse, você seria a pessoa mais feliz do mundo.

têm vezes que é bom não amar. tem vezes que é delicioso ser egoísta, egocêntrico e dono de todas as razões. todo mundo tem o universo girando em torno de seu umbigo pelo menos uma vez na vida.

têm vezes que a cerveja ilumina e transcende como o verdadeiro líquido sagrado. à sua moderação, você pode transformar uma energia só com uma geladinha.

têm vezes que tudo é ruim - tudo mesmo. mas daí você dorme, acorda, e tá tudo bem de novo. e nessas horas você pensa que seus amigos foram fundamentais para te lembrar disso.

têm vezes que é massa fechar a porta e as cortinas, aumentar o som, segurar um desodorante e fingir ser rockstar. imagine também a platéia em chamas - é emocionante...

têm vezes que o silêncio quebra qualquer relação. daí você cai na real que tentar ser autêntico é fundamental, por mais complicado que isso possa parecer.

têm vezes que sonhar o impossível é bom. pelo menos isso te faz sair um pouco da realidade nua e crua, do pessimismo e da solidão.

têm vezes que "recordar não é viver". tem vezes que recordar é sofrer. mas talvez o sofrer mais bacana e justo que existe. daqueles que merecem ser sofridos, porque toda dor tem amor e todo amor tem dor.

têm vezes que errar machuca demais. mas a longo prazo pode parecer a coisa certa, mesmo que isso faça a sua consciência nadar no mar do arrependimento.

têm vezes que sempre têm vezes. sobe e desce, cai e levanta, chora e sorri, erra e acerta, ama e odeia, chove ou faz sol.

é isso, minha gente, é isso. a vida é isso.

saúde!




Um comentário:

  1. Laraliz!!! Ameiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Concordo: a vida é isso. Beijo, te amo!
    drika (Jânio é meu pai e eu não sei pq aparece o nome dela qui... heheheh)

    ResponderExcluir