segunda-feira, 14 de junho de 2010

consumo delirante

esse negócio de dia dos namorados, me botou pra refletir.

não, eu não passei o sábado inteiro trancada em casa, chorando, agarrada a uma panela de brigadeiro e 5 caixas de cerveja - definitivamente, não.

mas confesso que ando um pouco chateada com essas datas comerciais. desde o dia das mães. poxa... é um puta dia lindo, cheio de significados onde devemos celebrar aquela que nos concebeu, nos deu o mundo, a felicidade e nos mostrou as belezas e as tristezas da vida. isso sim é data que merece ser intensamente comemorada.

daí né, tô eu lá desperdiçando o tempo na web: sites de notícias, orkut, twitter, google reader e afins. quando de repente, me deparo com a seguinte matéria: "dia das mães é considerado o segundo natal para o comércio brasileiro".

não sei você, mas a mim irritou muito. massa, somos submetidos automaticamente aos progressos e depressões do consumismo, mas sei lá, tudo é abusivo demais.

por conta da matéria, resolvi nem presentear minha tia/mãe esse ano. na verdade, tentei explorar a essência do meu amor, para oferecer um 'eu te amo' especial e diferente.

brilhei, claro. ela é linda e se satisfaz apenas com a presença dos filhos.

por isso acho, que o dia dos namorados só serve para encher shoppings e dar um belo fim de mês para as vendedoras comissionadas.

e eu fui na fnac de novo. mas pelo menos posso dizer que sou meu próprio namorado - ahá! (?)

beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário