sexta-feira, 16 de julho de 2010

cadillac of the skies

hoje tô meio singular. tentando entender algumas coisas sérias que nos fazem capotar da vida, e reparar que tá tudo precisando de conserto. conserto de arestas. vai me dizer que você nunca passou por isso? "aham cláudia, senta lá".

steven spilberg nem é o cara, pra mim. nunca foi, aliás. vi um filme ou outro, mas no esquema leigo de ser, só por hobby. não gostei de jurassic park, me dá a maior preguicinha de filmes assim. mas tá, tudo bem, gostei de 'ET', gostei de 'além da eternidade', gostei de 'de volta para o futuro', 'o resgate do soldado ryan', 'mib'... é, tá, gostei de muitos.

mas um em especial, deu uma bela laçada no meu coração - e olha que só vi um trailler fajuto. família é um negócio muito louco mesmo. só por causa de um molequinho gritando "p-51, p-51!", meus batimentos cardíacos já se alteraram. e nessas horas começo a compreender muitas coisas dentro de mim, principalmente a emoção à flor da pele. o filme tem quase a minha idade, 1987 (realmente tô velha mas, não se preocupe, já uso renew), e meu irmão nem precisou falar que era a película preferida do meu pai para perceber que a paixão será sempre inexplicável, mas para sempre será paixão.







3 comentários: