sexta-feira, 10 de setembro de 2010

bride party

o dia apenas acabou de começar e já sinto o coração palpitar, como se fosse o final do dia de uma super sexta-feira.

10 de setembro é tão nostálgico quanto o dia 8. hoje tiro o tempo para recordar meu pai e toda sua malemolência jovial, voz alta e risadas intensas. mas após 6 anos de sua ausência, começo a planejar passar o dia com mais suavidade, bebendo um vinho para celebrar seus 69 anos muito bem vividos ou simplesmente silenciar a dor com sorrisos.

a noite de ontem já foi um passo à frente para boas vibrações, fui a um encontro de noivas - bride party, tipo. não, eu não vou casar e é sobre isso que vou falar...

nunca sonhei com vestido de noiva. nunca nem sequer me imaginei entrando na igreja de véu e grinalda sob a marcha nupcial. não sei se é questão de estilo ou até mesmo um orgulhinho de mulher moderna. mas independente do motivo, se um dia pintar o amor e o desejo de casar, vou fazê-lo de rasteirinha - tenho problemas com salto alto.

o encontro de ontem foi inusitado. vários profissionais demonstrando produtos, desde fotógrafo e som, a sapatos e curso de sensualidade. pois é, a mulherada tá atenta. um buffet tomou conta do estômago das convidadas e depois de horas assistindo palestras sobre decoração de flores e como fazer a sua lista de presentes, apareceu uma loiraça tomando conta do microfone.

aparentando uns 40 anos e com a voz fanha, ela deu um show à parte com direito a mímicas e dicas sexuais. rebolou, falou palavrão, ensinou técnicas sobre como envolver o seu futuro marido em um sensual "vucu-vucu" e fez um comentário sobre bunda, que me conquistou.

- quando falamos sobre bunda perto dos homens, o que eles pensam? em mulher gostosa.
- quando falamos sobre bunda perto das mulheres, o que elas pensam? celulite.

o mais engraçado foi perceber que mulher é tudo igual. o CEEEELUUULIIITEE foi proferido em uníssono por todas as rachas presentes, inclusive por mim.

tá vendo? tamo aí preocupadaças com esses furinhos corriqueiros que nos perseguem, sem perceber que não deixamos de ser gostosas pro que mais nos interessa: os homens, principalmente aqueles amados.

ao final do bride party concluí que ainda não quero entrar na igreja vestida de noiva. mas tô gostando desse meu novo ofício de deimosèlle promovido pela minha irmã-amiga, roberta.

esses programas femininos vão formando a minha personalidade, escutei por aí que preciso ser mais vaidosa, por isso tô fazendo a unha toda semana e já tenho um batom dentro da bolsa (mas ainda não comecei a usá-lo).

meu subconsciente é foda, não dá folga.


créditos: o evento foi realizado por uma noivinha que tem um blog muito fofo, vale a pena conferir - casamento10.




Nenhum comentário:

Postar um comentário