sexta-feira, 29 de outubro de 2010

laerte

hoje ele usa cinta-liga, vai à manicure, compra maquiagens e faz depilação. diz um amigo meu que ele é gênio, mas acho que tá mais pra gênia.


entrevista na íntegra, confira.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

la garantía



você não precisa estar de tpm, não precisa ter brigado com a melhor amiga, não precisa ter dúvida se segue o catolicismo ou o osho, não precisa achar que seu namorado é um idiota... você não precisa de NADA para ter certeza que todo mundo PRECISA de um gps emocional.

cadê o professor buginganga?

o rei dorme na minha cama

acordei pensando em espanar isso aqui e lembrei que nunca tinha falado do roberto carlos. fiquei até impressionada, o roberto carlos é indispensável na minha vida.

dormir é uma das coisas que mais gosto de fazer, pena que não tenho muito tempo para isso. graças ao meu bom Deus e aos meus pais que resolveram saracutiar na vida, nasceu o meu irmão pablo que me deu uma baita cama de presente. grande, espaçosa, fofinha e minha.

tenho uma mania muito infeliz de colocar nome nas coisas. infeliz porque coloco nome até em maçaneta de porta ou em largatixa sem rabo (tipo a "poucatixa" que apareceu aqui na agência dia desses - totalmente sem rabo).

tem dias que acordo com a inspiração transbordando e quem agradece é a minha chefe. e tudo isso, graças a tal da cama. passei a dormir muito bem, o que pode ser bom e ruim ao mesmo tempo. acordar parece uma guerra ou um trauma (no estilo do nascimento, bem berrante) e viver isso diariamente pode fazer mal às varizes - coitados dos angiologistas.

em um desses dia de iluminação, provavelmente no amanhecer de uma quinta-feira, acordei antes do despertador abraçada ao travesseiro número 2 mais fofo da face da terra. na hora concluí que mesmo aos trancos e barrancos, tenho uma vida de rainha.

nessas horas a tendência da minha imaginação é totalmente maionese airlines. imaginei homens sarados me abanando com palmeiras gigantes em um verdadeiro harém feminino. mas nem é pra tanto, não sou chegada a homens sarados.

nesse raciocínio de rainha/harém/perfeição, cheguei a conclusão que durmo com o rei. pois é, o travesseiro número 2 foi promovido a rei (afinal de contas, a rainha sou eu). logo depois pensei que o rei do brasil, é o roberto carlos - aquele do calhambeque.

tooooooodo santo dia eu durmo abraçadinha com o rei e o nome dele é roberto carlos. e acabou a história.

papapai

adaptar a saudade à vida é arduo. machuca, corrói, descontrola...

mas quando a saudade vira lembrança, fica gostoso sentir. o abraço maior do mundo, a risada alta e a mão firme com veias grandes... é bom saber que está tudo bem, que a poeira abaixou e que você agora faz parte da imensidão que um dia eu quero conhecer.

de um jeito lúdico te imagino sentado em uma nuvem, coçando o seu bigode e rindo da vida que passa.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

a infância em um pedaço de papel

o início da minha essência...
ainda dá tempo de contemplar a infância, eternizando aqui, um dos bilhetinhos mais charmosos que já escrevi para a minha mãe. aposto que ela morreu de orgulho - hehe.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

chorando a dor do hormônio

esse mês a minha tpm veio atrasada. choro com comercial de shampoo para cachorro com cheirinho de neném. parece triste, mas acaba virando piada - como tudo o que acontece comigo.

no pseudo-domingo que na verdade era terça, peguei de gaiato no telecine pipoca um filme lindo. contava a história de um casal "diferente". a mulher era mais velha e o cara era babá de seus filhos. lindo de morrer, mesmo sendo um pouco mamão com açúcar, estilo sessão da tarde. lógico que o final você já sabe e ele é sempre feliz.

depois, no mesmo dia, fui surpreendida com a notícia do resgate dos mineiros no chile. desatei a chorar. chorei com o primeiro resgate e enrruguei com o segundo. decidi parar de ver, afinal já marcava uma da manhã e precisava acordar às seis e quarenta e cinco. ainda bem que existe internet pra manter a minha tpm atrasada... hoje de manhã continuei chorando com os outros vídeos e até então somam 22 resgates de 33 mineiros. ainda faltam 11 ensaios do hormônio à flor da pele.

toda essa minha sensibilidade me fez lembrar um gráfico muito real que achei pela internet. não que não acreditamos no amor, mas isso é bem típico de tpm. o não amor, a impossibilidade do amor, o amor não é pra mim, "oh, me dá um pote de sorvete e um litro de cachaça!!!".

pô, mulherada (incluindo eu) é pra menos né? vamos acreditar na conjugação do verbo: eu amo, tu amas, ele ama. seu príncipe encantado não tá em coma, ele só tá no forno sendo gratinado, pra chegar em você mega caprichado (olha aí meu espírito repentista)...



segunda-feira, 11 de outubro de 2010

apadrinhamento

luiz miguel martins vieira têm 5 anos de idade e mora em campos sales, no ceará. em sua casa, moram 5 pessoas: a avó, a mãe, o tio e uma amiga. a estrutura por lá é ruim, barracão com paredes de tijolo, teto coberto por telha e chão de cimento grosso. 

fiquei feliz em saber que, pelo menos, conseguem ter água encanada e luz elétrica. sei muito pouco sobre o miguel, posso até dizer que sei "quase nada". mas sabe quando o coração bate mais forte e o corpo arrepia por minutos? pois é. sei que ele é carinhoso e estudioso e isso deu mais sentido a missão que me propus. 

fiz questão de escolher a criança. fui passando os nomes e as histórias e quando bati o olho em miguel decidi instantâneamente que seria ele. o nome miguel tem uma história de peso em minha vida.

meu pai era devoto de são miguel arcanjo. nunca foi muito religioso, mas tinha uma imagem do santo em sua mesa de trabalho, sempre posicionada no mesmo lugar. com o queixo apoiado no pulso, em momentos de silêncio, o papai parava por alguns minutos e admirava a imagem. sempre quis saber o que pensava nessas horas, mas decidi que seria um mistério e nunca perguntei. ele sabia ser expansivo, mas também sabia ser discreto. quando faleceu, no aeroporto de são paulo, quem nos ligou para dar a notícia foi um tal de miguel, que soube conduzir a conversa delicada de uma forma muito gentil e generosa. coincidência? vai saber...

apadrinhei o luiz miguel esta tarde. para ele, a minha ajuda pode significar esperança, progresso, futuro... pra mim, significa caridade e talvez outros sentimentos que possam surgir no decorrer das notícias que receberei sobre ele. e sabe quanto isso vai me custar por mês? quarenta e dois reais. 


o dia é das crianças, mas a padroeira é do brasil







a profissão é um pouco frustrante, mas emplacar uma campanha é extremamente satisfatório! e por causa de todo esse meu orgulinho, resolvi postar aqui uma das peças que fizemos para o dia das crianças, seguindo a linha da campanha "de coração" para a  lopes royal. e caso vocês queiram comprar um apartamento, tá podendo e tá sobrando, entra aqui ó: www.lopes.com.br 

o dia é das crianças mas não se esqueçam da padroeira do brasil. ou você acha mesmo que o feriado é só por causa de um monte de mini-pessoas surtadas e sapecas? nananinanão, você só não trabalha hoje por causa de nossa senhora aparecida. faça-me o favor de ajoelhar e agradecer. 

deus

a ansiedade não me deixou dormir na véspera. senti medo, insegurança, temor e vergonha. o questionamento permanecia, mesmo com a minha decisão tomada, "será?". sempre tive a resposta para o meu será, o velho conhecido "não é possível".

hoje, depois de apenas dois dias, concluo que o "não é possível" era simplesmente a cegueira do que eu não queria ver e estava bem na minha frente. a verdade absoluta, que conheci aos 4 anos de idade. aquilo que preenche o meu coração como nada e nem ninguém já foi capaz de preencher.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

registro pra posteridade



o registro vale a pena, mario vargas llhosa é nobel. a notícia fez meu coração capotar de alegria mesmo conhecendo poucas obras do autor. uma delas faz parte de minhas indicações e é um dos títulos preferidos que compõe a minha estante.

depois de pablo neruda (1971) e gabriel garcía márquez (1982), é uma honra assistir a esse nobel e poder fazer parte da geração que lê o escritor, sentindo orgulho mesmo sem ser latino-americana.

o que experimentei: travessuras da menina má (2006) e elogio da madrasta (1988).

para mim, para você, paratodos



tenho que arregaçar os joelhos no chão para agradecer pela minha educação e minhas referências. o primeiro cd que ganhei na vida, foi paratodos do chico buarque. capa amarela com foto verídica do chico feita para registro policial. a primeira faixa do disco é em homenagem a antônio brasileiro, o maestro soberano tom jobim - impossível não gostar dessa obra. todas as músicas fazem parte da minha infância. escutar é como reviver o passado, lembrar do quarto azul na 314 sul, dos natais com mesa farta e dona maria helena cheirosa e maquiada.

não lembro da xuxa, pouco conheci do balão mágico e nem sei muito bem qual era a treta do castelo rátimbum. o meu negócio era brincar de pense bem, super nintendo, meu primeiro gradiente e lego. eu e o pablo poderíamos montar um aeroporto de lego pela casa inteira, se fosse da nossa vontade - mas apenas o quarto ou a mesa da cozinha eram suficientes para as nossas brincadeiras.

hoje tava lembrando dessa obra do chico e resolvi pesquisar no google (não sei como nossos pais viveram sem o google). levei um susto quando vi o ano do cd, 1993. eu tinha 9 anos! todas as faixas do disco são muito comuns na minha vida, a primeira me parece a lembrança mais inocente e divertida, "o meu pai era paulista, meu avô pernambucano, o meu bisavô mineiro, meu tataravô baiano...". na época, cheia de pureza eu pensava, "comé que o chico buarque sabe onde o tataravô dele nasceu?".

enfim... vale muito a pena conferir esse cd. não consigo decidir qual é minha faixa preferida, só consigo recordar, recordar e recordar - é gostoso demais!

1. paratodos
2. choro bandido (esse vídeo é ótimo)
3. tempo e artista
4. de volta ao samba (eu amo essa música)
5. sobre todas as coisas (maria rita interpretando)
6. outra noite (não achei link)
7. biscate - com gal costa (é demais!)
8. romance
9. futuros amantes (essa chora, heim)
10. piano na mangueira (sambão lindo e vídeo sensacional)
11. pivete
12. a foto da capa

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

musical do poetinha em brasília!

ler jornal de manhã virou um hábito. por vezes, esse hábito em mim, lembra meu pai. a diferença é que eu só leio de manhã. meu pai lia de manhã, de tarde e a noite. posso até acreditar que ele deveria ler as mesmas notícias três vezes por dia, sempre tomando café ou cerveja.

toda vez que fico feliz por essas folhas sujas e baratas existirem, agradeço por ter sido filha dele e ter herdado essa mania papelística por notícias. outro dia desses me falaram, "que jornal que nada! entra na internet!". não dá pra explicar a sensação gostosa de abrir o jornal e ficar com os dedos cinzas. e o cheiro? na internet não tem esse cheiro de impressão fajuta.

enfim... como de costume, fui ler sobre as atuais peripécias do nosso presidente sem dedinho para eleger a sua boneca, e isso pouco me interessou. tô meio de saco cheio do país e dos e-mails petistas e tucanos que tentam, todo dia, persuadir a opinião alheia. e sabe qual é a minha opinião? nenhuma.

pois bem, meus jovens... no caderno 'diversão &arte' do CB de hoje, temos uma notícia linda. esse final de semana, dias 8, 9 e 10 de outubro, terá a apresentação do musical escrito por vinícius de moraes - orfeu.

essa peça é uma nova montagem adaptada 54 anos depois da original, sob direçao de aderbal freire-filho. essa novidade fez uma cosquinha imensa na minha barriga e fiquei eufórica, com vontade de me teletransportar imediatamente para a bilheteria do teatro nacional.o ingresso meia-entrada está a 40 mangos. 40 mangos que serão muuuuito bem investidos, eu garanto.

só pra dar um gostinho, algumas músicas que fazem parte dessa nova adaptação de orfeu: água de beber, chega de saudade, este teu olhar, o que tinha de ser e samba do avião.

clique aqui pra ver a página do musical e se emocionar assim como eu.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

calma pro "eu te amo"

e aí, beleza?

esse recado é pra você, mas pode servir pra qualquer pessoa. se um dia alguém se apaixonar por você e te garantir a lua, não acredite.

não tô questionando a veracidade do amor de ninguém, mas essa parada hipotética do "vou te dar a lua, meu amor" já me encheu a paciência. pode até parecer frustração, mas a realidade é muito mais palpável.

não consigo decidir se sou uma pessoa romântica. na verdade está claro que eu não sou. pra mim é  totalmente broxante você namorar há uma semana e o cara dizer que te ama. eu não consigo. tem uma semana que a gente tá ali, naquela coisa desconhecida e nova e só porque eu sou bonitinha e simpática, ele me ama?

não dá. não dá porque ele não sabe se eu ronco, não sabe como acordo suada e com o cabelo desgrenhado e não sabe como posso ser má e insuportável quando brigamos ou discutimos.

aquela comunidade do orkut bem clichê, faz todo sentido. rapaziada, 'te amo' não é bom dia. mesmo se você tá eufórico, entusiasmado, cheio de adrenalina e tudo mais, isso passa e chama paixão - aquela coisa ardente que vem subitamente e vai embora do mesmo jeito, é 8 ou 80. você ama hoje e amanhã você não tem a menor paciência, é simples diferenciar uma coisa da outra.

admiro meu ex-namorado que nunca disse que me amava. pois é, o cara é carrancudo mas pelo menos valoriza as entrelinhas. talvez seja mais honesto você limitar os "eu te amos" e realizá-los em forma de atitudes concretas, de compreensão e de companheirismo.

o mais fácil pra mim é viver o natural, sem exageros e sem aquele negócio obrigatório de amar. vai vivendo e fim. daí você lembra daquele filme e de repente, amor!