segunda-feira, 18 de abril de 2011

alô

será que a dieta das palavras acabou? o tempo vai passando, as coisas vão acontecendo e as prioridades vão se adaptando. em férias forçadas, me sinto na obrigação de dizer um alô ao que eu chamo de terapia comigo mesma.

estou naquela fase de decorar todo o jingle de uma nova propaganda na TV, ou simplesmente acompanhar fielmente à minha série preferida da warner broz channel. parece deprê, mas eu tô no lucro.

nos jornais só lemos desgraças. um país devastado pela fúria incrontrolável da natureza, chacina na escola fundamental, atropelamento em massa, tiros matando pessoas que resolveram sair de casa para comprar pão... o chocolate perdeu o sentido na tpm e a sua única válvula de escape é quebrar a casa inteira? a vingança parece tomar conta dos olhos e as pessoas estão cada vez mais egoístas.

é difícil dividir a vida? é difícil quebrar paradigmas? é difícil ter uma crença ou simplesmente acreditar que as coisas podem mudar para melhor? meu amigo, é difícil até levantar da cama todos os dias... o lance é aprender a driblar a preguiça, os pensamentos incrédulos e pequenos e o mau que assombra o nosso coração.

a força da mente é a força de toda e qualquer atitude. se você quer você consegue, mesmo que para isso você tenha que se dedicar longos dez, quinze anos. o mundo está descartável, a natureza está apenas reclamando.

precisamos triplicar o nosso coração caridoso, precisamos pensar na essência do que sonhamos, precisamos aplicar as nossas ideias fazendo o bem. todo coração é bobo e precisa de amor. precisa de temperatura quente. a gente precisa dar um tapa na cara da maldade e parar de assistir o jornal nacional.

Um comentário:

  1. Até que enfim voltou aqui, meu amor, que saudade de te ler!!
    Ainda mais pra escrever algo tão cabível! Concordo totalmente com tudo isso. Distrair-se do mal não é alienar-se, é cultivar algo de bom que pode se espalhar no mundo!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir