terça-feira, 31 de janeiro de 2012

estou brava com o tempo e o problema é do tempo

tempo. não sei se tenho tempo, não sei se conheço o tempo e nem sei se realmente necessito de tempo. vou desafiar nosso menino do rio em dizer que nada de senhor o tempo tem. o tempo é um cara chato, devagar e extremamente egoísta. ele não se importa com a sua pressa, ansiedade ou impaciência. ele é dono de todo e qualquer minuto da sua vida - e isso não é uma opção.

você aí bonitinho, sentadinho e organizadinho, despenca horas da sua vida organizando cada milimétrico segundo de acordo com o seu dia a dia, estilo, o escambau! pois bem, me desculpe: você está fazendo isso errado. o tempo não é seu. o tempo é do tempo sem ser seu um só minuto - adapte-se (e pare de sofrer como eu).

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

mais é mais

nas aspas de um sábio em ebulição, transcrevo uma das coisas mais completas que já li dentro dessa linhagem clichê de "ano novo/vida nova". texto grandioso em simplicidade, ao alcance daqueles fãs de los hermanos que acreditam piamente que é preciso força pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê. 

"mais sucesso,
menos paranóia.
mais compromisso,
mais tranquilidade,
menos ciúmes.
mais amizades,
mais entendimento,
menos inveja.
mais tolerância,
mais amor,
menos exageros.
mais equilíbrio,
mais empenho,
menos tristeza.
mais disciplina,
mais divisão,
menos rancor.
mais trabalho,
mais carinho,
menos preocupação.
mais humildade,
mais exercício,
menos descaso.
mais determinação,
mais pontualidade,
menos dor.
mais vontade,
mais lazer,
menos estresse.
mais energia,
mais tempo,
menos cansaço.
mais compaixão,
mais compreensão,
menos confusão.
mais crescimento,
menos preguiça.
mais satisfação,
menos desperdício.
mais aprendizados,
menos problemas. "

demian.naimed.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

clarice tá na moda, mas dá pra entender o porquê

eu nunca fui uma moça bem comportada. isso é fato! afinal, nunca tive vocação pra alegria tímida, pra paixão sem beijos quentes ou pro amor mal resolvido, sem soluços. eu quero da vida o que ela tem de cru e bonito. não estou aqui pra que gostem de mim. estou aqui pra aprender a gostar de cada detalhe que eu tenho. e pra seduzir somente o que me acrescenta. sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim que as vezes cansa. por isso, não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. venha a mim com corpo, alma, voracidade e falta de ar.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

descascando a máscara

me transborda.

me aceita de maquiagem, me aceita linda, interessante, jovial e descolada. mas me aceita confusa, atrapalhada, acordando com remelas nos olhos e irritada - muito irritada. me completa sendo compreensivo, crítico, chato e arrogante. mas nunca, nunca reclame da minha tpm.

entenda a minha fome de chocolate às três horas da manhã, aceite a minha distração em não abastecer o carro toda vez que o tanque acusa reserva. me deixa secar o cabelo de manhã e não me enche o saco se eu esquecer de pagar a conta de luz. eu estou disposta a entender que você é mais prático, bem-resolvido e, claro, impaciente.

tenho um mundo de fantasia completamente individual e egoísta. supere isso, talvez assim seja mais fácil para você entender as minhas emoções e te garanto, não é difícil. eu estou disposta a aceitar o seu trabalho e as suas amigas. desde que você entenda que as vezes eu preciso expressar o meu ciúme grosseiro e romantico. pois é, eu sou contraditória.

por favor, saia com os seus amigos. me esqueça por algumas horas, faça charme e tente ser inatingível em algumas situações. eu adoro desafios. me faça sentir insegurança e depois me arrasa com uma bela desculpa esfarrapada. eu sei que você não é cafajeste. tenha certeza de uma coisa: eu vou me apaixonar no final - aquele que também é o início.

não espere de mim cartas de amor ou surpresas amorosas quando você chegar de viagem. mas espere um abraço quente, um olhar verdadeiro e uma vontade de amor quase sem limites. tá bom, eu confesso: vou improvisar um jantar lá em casa, mas a comida será do restaurante. pois é... eu não sei cozinhar.

em nossa vida social em comum, demonstre independência. sente em um lugar diferente da mesa no bar. converse com outras pessoas. eu estou ali com o radar ligado no rabo de olho, vou admirar a sua indiferença e vou achar isso extremamente charmoso. entenda que eu estou no lucro: você é lindo e interessante. e o melhor, vai embora pra casa comigo.

eu consigo ser muito legal, companheira e engraçada. mas você sabe, né? eu consigo ser, na mesma proporção, muito chata, deselegante e individualista - em tempero saudável. quase sou capaz de te implorar: não entre na minha pilha em tempestade. amanhã vai ser outro dia e, na minha esfera espiritual, não tem lugar pra tempo nublado - você vai entender o ritmo.

alegria, alegria. posso usar as suas cuecas para dormir? me empresta uma furada, pode ser que eu escreva meu nome nela, eu sou possessiva mas a dose é muito fraca. por favor, divida todas as suas conquistas comigo. eu vou vibrar como se fossem minhas. vamos comemorar a nossa existência! tem vezes que você vai confundir clara com intensidade.

divida as suas tristezas também, meu coração é calejado e forte. eu quero completar a sua vida com tudo o que falta - porque eu sei que sempre falta alguma coisinha. acredite, consigo ser lotada de amor e eu prometo nunca me cansar em ouvir o que você fez durante o dia, eu adoro a sua voz. desconte a sua raiva em mim, eu estou aqui pra isso. meu ombro não é de aço, mas eu posso fazer musculação pra te carregar nos braços.

 com xulé e bossa nova, me transborda.

é cafona, mas é bonitinho

um dia cheguei a pensar que eu fosse uma pessoa completamente sozinha. nasci de um amor lindo mas que, diante as leis da sociedade, era totalmente errado e desleal. mas era amor, e lulu santos uma vez me disse que todas as formas de amar valem a pena. pois bem!

filhos de um segundo casamento geralmente são 'condenados' a ter uma família menor e, em partes, excluída. foi isso o que aconteceu comigo. éramos apenas (verdadeiramente) eu, meu irmão, meu pai e minha mãe. mas nessa minusculosidade toda, nós nos completávamos inteiramente. éramos poucos, mas éramos nós - amados, felizes, fortes e lotados de bom humor.

foram-se as duas partes mais importantes do meu ser. aqueles que me geraram, me deram traços faciais, voz, cabelo, pernas e consciência. com eles morreram boas doses do meu bom senso e do meu equilíbrio - por hora. perdi as estribeiras, vivi o meu luto, culpei quem não devia, descontei em quem nem sabia, fiz uma farra com a minha dor!

sobrevivi. reconheci aonde estava o problema, descobri porque doía, respeitei as minhas errôneas ações, me entendi, me perdoei e progredi. deixei pra trás aquela condição de sozinha e gritei pro mundo a minha carência. e o mundo respondeu.

o mundo respondeu me dando vários amigos emocionados e vibrantes de amor. não obstante, o mundo me deu uma nova família. a ligação não é sanguínea, mas é de almas, antepassados, energia e empatia. na minha nova família eu tenho mãe, pai, quatro irmãos (vejam vocês, quatro!) e dois cachorros.

o ser humano é capaz de perder, errar, se ferrar... mas o ser humano é infinitamente capaz de amar, doar e ser feliz, convivendo harmonicamente com dificuldades e limitações, sejam elas físicas ou emocionais. aqui não tem entrelinhas, é o verbo rasgado mais cafona que existe (e eu acho que esse blog pode virar um best-seller de auto ajuda futuramente).

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

2012 merece!

"a vida da gente é mistério
a estrada do tempo é segredo
o sonho perdido é espelho
o alento de tudo é canção
o fio do enredo é mentira
a história do mundo é brinquedo
o verso do samba é conselho 
e tudo o que eu disse é ilusão..." 


15.887 pessoas já me perguntaram o que eu planejei para o ano de 2012. 15.887 pessoas com certeza já planejaram todos os 355 dias que seguirão, independente de calendário maia, asteca, cristão e afins.

eu ainda não planejei se vou estudar em portugal ou na fgv. também não decidi se gosto mais do vasco ou do atlético mineiro. não tenho estratégia para atingir uma meta, a não ser a de namorar o cara do jurídico até abril. não programei dieta, viagem e nem investimento na bolsa.

caminho assim, no escuro mais claro que já enxerguei. tento diminuir ao máximo as expectativas, agradecida pelo que vem e pelo que vai - porque se a gente planta, consequentemente a gente colhe (a boa e velha parábola do semeador). a vida vai acontecer, disso eu tenho certeza. e vai acontecer pra mim e pra você.

peito aberto requer coragem, respiração firme, olhar reto e focado pelo bem. os pés precisam estar firmes no chão (repito, no chão). feito isso, a energia gira ao seu redor e as coisas fluem com a melhor das harmonias.

acredite, pensar o bem e querer o bem é o suficiente para a sua vida dar uma bela de uma guinada. feliz 2012 pra você, pra sua mãe, pro seu pai e pra sasha.