segunda-feira, 23 de julho de 2012

vilarejo

fico imaginando que pensamentos são como créditos em forma de oportunidade, dependendo é claro, da sua avidez em administrar se os pensamentos valem a pena de serem alimentados ou não.

é tão simples reclamar. é tão simples achar que tudo na vida está ruim, ineficaz, fraco e pobre. é cômodo e fácil sentar em um sofá e ver a vida passar pela janela, enquanto você apenas assiste como um telespectador passivo de seus próprios acontecimentos, deixando com que oportunidades se tornem um mero (e mais um ) esquecimento do passado ou arrependimento para o futuro.

a autonomia é capaz de te dar desejo em viver o que você quiser. do simples ao impossível, a sua mente pode controlar o que quiser controlar, basta ter consciência da importância que a energia têm para todo e qualquer passo que se vá tomar.

alimentar o bem, cultivar os bons amigos, controlar os pensamentos de forma saudável e justa, é muito mais fácil do que passar em matemática na sétima série.

vale o desafio e o exercício, estimular aquela coisa clichê e positiva, criar suas próprias estratégias e mantras, emitir calor amoroso para o universo e receber em troca, na discrição suave e gentil que a vida nos oferece, sempre em forma de dias límpidos, sono gostoso, amor novo ou música boa.

sábado, 14 de julho de 2012

rebento de potira

bartira, quem diria... cresceu, renasceu e se inventa, sempre dentro de um conto, voz e violão, flauta e acordeón. completamente apaixonada, entendendo que acelerar o coração é uma oportunidade de engrandecer a alma, acalmar a pele e anestesiar os olhos em ilusões saudáveis, feitas pra sorrir. é a paz que vem de fora para dentro, é o entupir de emoção, é tremer o corpo em desejo de viver aquele desconhecido com sede e vontade, imersa em suavidade que faz poesia - naturalmente.